Glossário



Termos do glossário: All | A-D | E-I | J-Q | R-Z |

Adaptação: ações dos indivíduos ou sistemas para evitar, resistir, ou tirar vantagem das mudanças climáticas atuais e projetadas, e seus impactos. A adaptação diminui a vulnerabilidade de um sistema e/ou aumenta a sua resilência aos impactos.

Aerossóis: partículas sólidas ou líquidas suspensas na atmosfera (ver "aerossóis de sulfato" e "aerossóis de carbono negro").

Aerossóis de Carbono Negro: partículas de carbono na atmosfera produzidas pela combustão imcompleta de combustíveis fósseis ou biomassa. Os aerossóis de carbono negro absorvem a luz do sol, sombreando e resfriando a superfície da Terra, mas contribuem para o aquecimento significativo da atmosfera (ver "forçamento radiativo").

Aerossóis de Sulfato: partículas à base de enxofre derivadas de emissões de dióxido de enxofre (SO2) provenientes da queima de combustíveis fósseis (principalmente carvão). Os aerossóis de sulfato refletem a luz recebida do sol, sombreando e resfriando a superfície da Terra (ver "forçamento radiativo") e, assim, compensam parte do aquecimento historicamente causado por gases de efeito estufa.

Água Cinza: águas residuais geradas a partir de processos domésticos, tais como lavar louça, lavar roupa, lavar banheiros e pias, e tomar banho. (BSC/WAPTAC)

Albedo: fração de radiação solar refletida por uma superfície ou objeto, expressa em porcentagem. A luz não refletida é convertida em radiação infravermelha (ou seja, calor), o que provoca o aquecimento da atmosfera (ver "forçamento radiativo"). Assim, as superfícies com um albedo elevado (por exemplo, a neve e o gelo) geralmente contribuem para o resfriamento da atmosfera, enquanto que as superfícies com um albedo baixo (por exemplo, os telhados) geralmente contribuem para o aquecimento. As mudanças no uso da terra que alteram significativamente as características da superfície terrestre podem, portanto, influenciar o clima por meio de mudanças no albedo.

Alocação de Permissões de Emissão: sob um regime de comércio de emissões, as permissões de emissão podem ser inicialmente distribuídas de forma gratuita, geralmente sob uma abordagem de “direitos adquiridos”, baseada nas emissões passadas em um ano base, ou sob uma abordagem de “atualização”, baseada nas emissões mais recentes. A alternativa é leiloar permissões em uma oferta inicial de mercado.

Ano Base: as metas de redução das emissões de GEE para cada país são frequentemente definidas em relação a um ano base. No âmbito do Protocolo de Quioto, 1990 é o ano base para os principais GEE (CO2, N2O e CH4) para a maioria dos países, sendo que 1995 pode ser usado como ano base para outros GEE, particularmente os PFCs, SHFs e HFCs.

Aquecedor de Água Quente de Bomba de Calor: a tecnologia utiliza um sistema de refrigeração por compressão de vapor para transferir calor do ar para a água armazenada em um tanque. Os compressores nesse tipo de aquecedor são normalmente movidos a eletricidade.

Aquecedor de Água Quente de Condensação de Gás: aquecedores semelhantes aos aquecedores a gás convencionais, com exceção de que eles são projetados para condensar o vapor de água no gás de combustão quente, transferindo, desse modo, o calor de condensação para a água, melhorando a eficiência do aquecedor, mas resultando em uma drenagem de água ligeiramente ácida.

Aquecedor de Água Quente sem Tanque: aquecedor de água quente que aquece a água somente quando há uma demanda e não a armazena em um tanque.

Aquecedor de Água Quente Solar: tecnologia que utiliza o sol como energia térmica para aquecer água.

Aquecedor Padrão de Água Quente com Tanque: aquecedor de água quente que aquece a água e a armazena em um reservatório.

Aquecimento Global: aumento na temperatura média da superfície terrestre. O aquecimento global vem ocorrendo em tempos passados devido às influências naturais, porém, o termo é mais utilizado para se referir ao aquecimento predito causado pelo aumento de emissões de gases de efeito estufa provenientes principalmente de ações antrópicas.

Ar Quente (“Hot Air”): reduções nas emissões de gases de efeito estufa; por exemplo, a União Soviética em formação, devido ao colapso econômico, foi levada aos esforços intencionais de frear emissões. Sem um cenário de mercado na situação, isso não seria considerado uma saída alternativa, porém com o regime de mercado, o país que “possui” esse excesso nas reduções, ou “Hot air”, pode vendê-lo à países que não estão de acordo com suas metas de redução, passando então a poder aumentar suas emissões. Com o mercado de “Hot air” as emissões totais aumentam como resultado de medidas de flexibilidade. Essas emissões são consideradas “Hot air”, porque elas não representam reduções que teriam ocorrido no curso normal dos acontecimentos.

ATV (All Terrain Vehicle). Veículo para Todos os Terrenos: veículo motorizado pequeno e aberto, com três ou quatro rodas, projetado para uso recreativo.

Auditoria de Energia Doméstica: avaliação de uma casa ou apartamento para determinar a eficiência energética da casa e dos seus equipamentos. Uma auditoria deve incluir uma análise das contas de energia, entrevista com os moradores, inspeção dos equipamentos de aquecimento e refrigeração, eletrodomésticos, estrutura do edifício, e isolamento do porão ao sótão. Pode envolver o uso de equipamentos de diagnóstico, tais como uma blower door, para identificar vazamentos. A auditoria resulta em uma lista de medidas recomendadas para melhorar a eficiência energética da casa.

Aumento do Efeito Estufa: aumento do efeito estufa natural resultante do aumento das concentrações atmosféricas de GEE, devido às emissões provenientes de atividades humanas.

Avaliação do Ciclo de Vida (ACV): é uma ferramenta que permite a quantificação das emissões ambientais ou a análise do impacto ambiental de um produto, sistema, ou processo. Essa análise é feita sobre toda a "vida" do produto ou processo, desde o seu início (por exemplo, desde a extração das matérias-primas no caso de um produto) até o final da vida (quando o produto deixa de ter uso e é descartado como resíduo), passando por todas as etapas intermediárias (manufatura, transporte, uso). Esta ferramenta é muito utilizada para comparar o impacto ambiental de diferentes produtos com similar função.

Barril: unidade de medida de petróleo líquido (geralmente petróleo cru) igual a 158,98 litros (se for o barril estadunidense) ou a 159,11 litros (se for o barril imperial britânico). O barril é abreviado como bbl.

Bateria: dispositivo de armazenamento de energia composto por uma ou mais células eletrolíticas.

Benefícios de Mercado: benefícios de uma política climática que podem ser medidos em termos de impactos evitados sobre o mercado, tais como alterações na produtividade dos recursos (por exemplo, menor produtividade agrícola, recursos hídricos escassos) e danos ao ambiente construído pelo homem (por exemplo, inundações costeiras devido à elevação do nível do mar).

Benefícios Não Mercantis: benefícios de uma política climática que podem ser mensurados no sentido de evitar impactos não mercantis, tais como impactos sobre a saúde humana (por exemplo, aumento da incidência de doenças tropicais) e danos aos ecossistemas (por exemplo, perda de biodiversidade).

Biocombustível: biomassa que é convertida diretamente em combustíveis líquidos, geralmente na forma de etanol ou biodiesel. Biocombustíveis: combustíveis líquidos e componentes de mistura produzidos a partir de matérias-primas de biomassa (plantas), utilizados principalmente para o transporte.

Biodiesel: combustível alternativo que pode ser feito a partir das plantas (óleos vegetais) ou de animais (gordura animal). Este combustível pode ser usado em qualquer motor a diesel com pouca ou nenhuma modificação. Apesar de não conter petróleo, o biodiesel pode ser misturado com o diesel em qualquer concentração ou ser utilizado na sua forma pura.

Biodiversidade: variedade de organismos encontrados dentro de uma região geográfica específica.

Biogás: mistura de metano e dióxido de carbono produzida pela decomposição bacteriana de resíduos orgânicos e utilizada como combustível.

Biomassa: qualquer material orgânico (planta ou animal) disponível em uma base renovável, incluindo culturas agrícolas e resíduos agrícolas, madeira e resíduos de madeira, resíduos animais, resíduos urbanos, e plantas aquáticas.(WAPTAC)

Blower Door: dispositivo usado pelos auditores e avaliadores de eficiência energética para pressurizar um edifício a fim de encontrar os locais de vazamento de ar e perda de energia.

Bolha: é um mecanismo do Protocolo de Quioto que permite que um grupo de países alcance os seus objetivos conjuntamente, a partir da agregação do total de emissões em uma “cúpula de emissões”, dividindo as responsabilidades de acordo com as circunstâncias individuais de cada país e acordos entre as partes envolvidas. Os Estados membros da União Europeia estão utilizando esta opção.

Capacidade de Adaptação: capacidade inerente de um sistema para se adaptar aos impactos das mudanças climáticas.

Capacidade de Geração: quantidade de energia elétrica que uma usina pode produzir.

Captura e Armazenamento de Carbono (CCS, sigla em inglês): a captura e armazenamento de carbono (também conhecida como captura e sequestro de carbono) é uma técnica para capturar o dióxido de carbono conforme este gás é emitido de grandes fontes pontuais, comprimindo-o e transportando-o para um local adequado de armazenamento, no qual ele é injetado (sequestrado) no subsolo, em lugares como, por exemplo, poços de petróleo exauridos.

Carga: requisitos de potência e energia deusuários no sistema de energia elétrica em uma determinada área ou a quantidade de energia entregue a um certo ponto.

Carga de Base: para os consumidores residenciais, corresponde à energia consumida excluindo-se a energia utilizada para refrigeração/aquecimento. O uso da carga de base é mais ou menos constante a cada mês, durante todo o ano.

Casa como um Sistema (Sistema de Casa Inteira): Carbon Dioxide Equivalent (CO2e). abordagem para projeto, construção, remodelação e climatização de casas, que reconhece como todas as características em uma casa estão conectadas e que a mudança de um componente pode afetar muito outra parte da casa. É baseada nos princípios da ciência da construção e se apóia em diagnósticos para verificar os resultados. A utilização dessa abordagem irá melhorar não só a eficiência energética global da casa, mas também seu conforto, qualidade do ar interior, segurança, durabilidade e acessibilidade.

Casa de Energia Nula: casa que produz tanta energia quanto ela utiliza, resultando em uma conta de energia anual de R$0. A chave para isso é minimizar a energia necessária para operar a casa e depois adicionar uma fonte de energia, como a energia fotovoltaica.

Casa Fora da Rede: casa (ou edifício) que não está conectada à rede elétrica ou rede municipal de esgoto ou de água. Os moradores destas casas devem produzir sua própria energia e/ou encontrar e descartar sua água.

Casas Saudáveis: casas que são projetadas, construídas ou remodeladas para criar e manter um ambiente interior saudável. A construção de um lar saudável é uma parte integrante de toda a casa e das práticas de construção verde, com foco em tornar as casas secas, limpas, bem ventiladas, livres de combustão de subprodutos e produtos químicos tóxicos, livres de pragas, e confortáveis.

Célula Solar (também chamada célula fotoelétrica ou célula fotovoltaica): é um dispositivo elétrico capaz de converter a luz solar diretamente em energia elétrica por meio do processo fotovoltaico.

Cenários SRES: conjunto de cenários de emissões desenvolvido pelo IPCC, em seu Relatório Especial sobre Cenários de Emissões (SRES, sigla em inglês). Estes cenários foram desenvolvidos para explorar uma variedade de trajetos das potenciais emissões futuras de gases de efeito estufa, ao longo do século 21, e suas implicações subsequentes para a mudança climática global.

Cesta de Gases: refere-se ao grupo de seis gases de efeito estufa regulados no âmbito do Protocolo de Quioto. Estes gases estão listados no Anexo A do Protocolo de Quioto e incluem: o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4), o óxido nitroso (N2O), os hidrofluorcarbonos (HFCs), os perfluorcarbonos (PFCs) e o hexafluoreto de enxofre (SF6).

Ciclo Combinado: característica de um motor gerador de potência ou usina que emprega mais de um ciclo termodinâmico. Os motores térmicos são capazes de usar apenas uma parte da energia que seu combustível gera; o calor remanescente da combustão é geralmente desperdiçado. A combinação de dois ou mais "ciclos" resulta em melhoria na eficiência global.

Ciclo de Vida (Produto): todas as etapas do desenvolvimento de um produto, desde a extração do combustível para a energia utilizada na produção, comercialização, utilização, eliminação e disposição.

Ciclo do Urânio Combustível: série de etapas envolvidas no fornecimento de combustível para reatores de energia nuclear. Inclui a mineração, refino, fabricação de elementos combustíveis, seu uso em um reator, processamento químico para recuperar o combustível gasto (usado), re-enriquecimento do material combustível, e transformação em novos elementos combustíveis.

Circulação Termoalina: padrão tridimensional da circulação oceânica, impulsionado pelo calor, vento e salinidade, sendo um importante componente do sistema climático oceano-atmosfera. No Atlântico, os ventos transportam a água quente e tropical da superfície para o norte, onde ela esfria, torna-se mais densa e afunda no oceano profundo, ponto em que inverte sua direção e migra de volta aos trópicos, onde, eventualmente, aquece e retorna à superfície. Este ciclo é um mecanismo importante para o transporte global de calor, e, portanto, tem uma influência significativa sobre o clima. O aquecimento global está projetado para aumentar a temperatura da superfície do mar, o que pode retardar a circulação termoalina, reduzindo o afundamento da água fria no Atlântico Norte. Além disso, a salinidade do oceano também influencia a densidade da água, e assim, a diminuição na salinidade da superfície do mar devido ao derretimento das calotas polares e geleiras também pode retardar a circulação termoalina.

Clima: conjunto de condições meteorológicas (temperatura, umidade, chuvas, pressão e ventos) que mantém características comuns em uma determinada região. Clima não é o mesmo que tempo.

Clorofluorcarbonos (CFCs): os CFCs são gases industriais sintéticos, compostos por cloro, flúor e carbono. Sua produção começou na década de 30 com o avanço da refrigeração, e antes da segunda guerra mundial seu uso era limitado. Desde então eles vem sendo intensamente utilizados como componentes na produção de aerossóis, de espuma, na indústria de ar condicionado e em várias outras aplicações. Não há fontes naturais de CFCs. Esses gases têm uma vida útil atmosférica de décadas a séculos, e apresentam GWPs de 100 anos milhares de vezes maior do que o CO2, dependendo do gás. Além de serem gases de efeito estufa, os CFCs também contribuem para a destruição do ozônio na estratosfera e são controlados pelo Protocolo de Montreal.

Co-benefícios: benefícios complementares de uma política climática, incluindo melhorias na qualidade do ar local e redução da dependência de combustíveis fósseis importados.

Cogeração: produção de energia elétrica e outra forma de energia útil (como calor ou vapor) por meio do uso sequencial de energia.

Combustíveis Fósseis: combustíveis derivados de compostos orgânicos contendo carbono e hidrogênio, originados abaixo da crosta terrestre pelo processo de decomposição de plantas e animais que viveram em períodos geológicos passados. Incluem: carvão mineral, petróleo e gás natural. A sua produção é extremamente lenta, muito mais lenta do que a taxa de consumo atual e, portanto, não são renováveis na escala de tempo humana.

Comércio de Emissões: mecanismo de mercado que permite que os emissores (países, empresas ou instalações) comprem ou vendam emissões a outros emissores. Espera-se que o comércio de emissões reduza os custos do cumprimento das metas de redução de emissões, permitindo que aqueles que atingirem suas reduções com custos menores vendam as reduções excedentes (por exemplo, as reduções superiores às exigidas por alguma regulamentação) para aqueles cujas reduções apresentam custos mais altos.

Complementaridade: o Protocolo de Quioto não permite que as partes do Anexo I cumpram suas metas de emissão inteiramente por meio da utilização do comércio de emissões e dos outros mecanismos de Quioto. A utilização dos mecanismos deve ser complementar às ações domésticas para limitar ou reduzir as suas emissões de GEE.

Compostos Orgânicos Voláteis (COV): qualquer composto orgânico que participa de reações fotoquímicas atmosféricas.

Compromisso Quantificado de Limitação e Redução de Emissões (QELRC, sigla em inglês): também conhecido como QELRO (Objetivo Quantificado de Limitação e Redução de Emissões). Refere-se aos compromissos quantificados de emissões de GEE listados no Anexo B do Protocolo de Quioto. Os QELRCs são especificados em porcentagens relativas às emissões de 1990.

Computador Convencional: computador que não recebeu a classificação ENERGY STAR.

Comunidade Europeia: como uma organização de integração econômica regional, a Comunidade Europeia pode e é parte da UNFCCC, no entanto, ela não tem uma votação em separado dos seus membros (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Portugal, Espanha, Suécia e Reino Unido).

Conector Solar de Placa Plana: dispositivo projetado para capturar a energia do sol e produzir energia térmica de baixa temperatura. Eles são comumente usados como coletores em sistemas de aquecimento solar.

Conferência das Partes (COP): órgão decisório supremo composto pelas Partes que ratificaram a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. A COP se reúne anualmente. Mais de 190 delegações governamentais participaram da COP 17 em Durban, na África do Sul, em dezembro de 2011.

Conservação de Energia: redução ou gerenciamento do consumo de energia de forma rentável e eficiente em termos energéticos.

Construção Verde: prática de aumentar a eficiência das construções e do seu uso de energia, água e materiais, e reduzir os impactos da construção sobre a saúde humana e o meio ambiente, por meio da localização ideal, projeto, construção, operação, manutenção, e remoção de resíduos - o ciclo de vida completo de uma construção. A eficiência energética é o elemento chave para a construção verde.

Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês): a UNFCCC foi adotada em maio de 1992, estabelecendo, como objetivo final, a estabilização das concentrações atmosféricas de gases de efeito estufa em níveis seguros dentro de um prazo que permita aos ecossistemas adaptarem-se naturalmente à mudança do clima. Através dessa Convenção, que entrou em vigor em 1994, contando com a participação de 180 países e a União Européia, as Nações Unidas reconheceram as mudanças climáticas como um problema real e global. Dentre os compromissos esperados, a UNFCCC estabelece como princípio a necessidade do compartilhamento do ônus na luta contra a mudança do clima.

Coque (carvão): resíduo carbonáceo sólido derivado do carvão betuminoso. Os componentes voláteis são expulsos por cozimento em um forno a altas temperaturas (tão altas quanto 1.000°C), de modo que o carbono fixo e as cinzas residuais são fundidos. O coque é usado como combustível e como agente redutor na fundição de minério de ferro em um alto forno. O coque de carvão é cinza, rígido e poroso, e tem um poder calorífico de 24,8 milhões de BTU por tonelada.

Coqueima: é a combustão de dois tipos diferentes de materiais, ao mesmo tempo. Uma das vantagens da coqueima é que uma usina existente pode ser utilizada para queimar um novo combustível, que pode ser mais barato ou ambientalmente mais amigável.

Crédito Atencipado: disposição que permite a obtenção de créditos de reduções de emissões antes do início de um período de controle de emissões legalmente imposto. Esses créditos podem ser usados para auxiliar no cumprimento das metas quando um sistema legalmente imposto se inicia.

CRT (Cathode Ray Tube). Tubo de Raios Catódicos: tubo fechado no qual elétrons são emitidos para uma tela fosforescente a partir de um cátodo para produzir uma imagem. Até alguns anos atrás, as telas CRT eram o tipo mais comum utilizado em televisores e monitores de computadores desktop.

Desacoplamento: mecanismo de construção de tarifa que remove as barreiras para programas de eficiência energética, eliminando a ligação entre as vendas de eletricidade e os lucros da empresa de energia. A entidade reguladora garante uma receita com as taxas que normalmente são calculadas numa base por cliente, e revisa periodicamente para ver se o requisito de receita pré-determinado está sendo cumprido. O desacoplamento proporciona estabilidade das expectativas de receitas das empresas de energia, reduzindo os riscos para os investidores, e proporciona mais e melhores oportunidades para reduzir as faturas de energia elétrica dos consumidores.

Desvio Térmico: similar a um ciclo de convecção, esta perda estrutural de calor caracteriza-se pelo ar aquecido subir até as cavidades das vigas internas ou externas, e vazar pelo topo dessa cavidade para o sótão, por meio das juntas e fissuras na estrutura, fiação e encanamento. Este tipo de perda de calor é muitas vezes o mais difícil de se localizar.

Desconto: processo que reduz os custos e benefícios futuros para refletir o valor temporal da moeda e a preferência comum de consumo, atual ou futura.

Dióxido de Carbono (CO2): o CO2 é um gás incolor, inodoro e não tóxico que ocorre naturalmente na atmosfera. Dos seis principais gases de efeito estufa, o CO2 é o que mais contribui para o aquecimento global induzido pelo homem. As atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento, têm aumentado as concentrações atmosféricas de CO2 em cerca de 30% desde a Revolução Industrial. O CO2 é utilizado como referência para determinar os"potenciais de aquecimento global" (GWP, sigla em inglês) de outros gases. Atribuiu-se ao CO2 um GWP de 100 anos igual a 1 (ou seja, os efeitos do aquecimento durante um período de 100 anos em relação a outros gases)

Dióxido de Carbono Equivalente (CO2e): é uma medida métrica utilizada para comparar as emissões de vários gases de efeito estufa baseado no potencial de aquecimento global de cada um. O dióxido de carbono equivalente é o resultado da multiplicação das toneladas emitidas de gases de efeito estufa pelo seu potencial de aquecimento global. Por exemplo, o potencial de aquecimento global do gás metano é 21 vezes maior do que o potencial do CO2. Então, dizemos que o CO2 equivalente do metano é igual a 21.

Dióxido de Enxofre (SO2): gás denso, incolor, não inflamável e altamente tóxico, e a sua inalação pode ser fortemente irritante. É formado principalmente pela queima de combustíveis fósseis; tornando-se um poluente quando presente em grandes concentrações.

Doenças Transmitidas por Vetores: são doenças infecciosas que dependem da intervenção de um vetor biológico, tais como mosquitos, carrapatos e pulgas, para serem transmitidas aos seres humanos ou outros animais. Exemplos de doenças transmitidas por vetores incluem a dengue, a febre amarela, a encefalite viral, a doença de Lyme e a malária.

Ecossistema: comunidade de organismos e seu ambiente físico.

Ecoturismo: segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas.

Efeito Chaminé: tendência do ar ou gás aquecido de subir em um duto ou outra passagem vertical, como em uma chaminé, pequeno compartimento, ou construção, devido à sua baixa densidade em comparação com o ar ou gás ao seu redor.

Efeito Estufa: Trata-se de um fenômeno natural, que mantém a temperatura necessária para o estabelecimento e sustento da vida na Terra e que só é possível através dos gases de efeito estufa. Esses gases, cujas moléculas capturam calor na atmosfera terrestre, quando corretamente distribuídos, agem como a cobertura de uma estufa sobre o planeta, permitindo a passagem da radiação solar (na forma de luz), mas evitando a liberação da radiação infravermelha (na forma de calor) pela Terra. Mantêm a temperatura da Terra por volta de 30°C mais quente que na ausência dele, impedindo que o nosso planeta fosse um deserto gelado.

Eficiência Energética: refere-se a atividades que visam reduzir a energia consumida por meio da substituição de equipamentos tecnicamente mais avançados, normalmente, sem afetar os serviços prestados. Os exemplos incluem: aparelhos de alta eficiência, programas de iluminação eficiente, sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado de alta eficiência ou modificações de controle, projetos de construção eficiente, motores de acionamento elétrico avançado e sistemas de recuperação de calor.

Electricidade ou Energia Verde: electricidade produzida a partir de fontes renováveis (eólica, solar), por meio de métodos que têm impactos negativos mínimos sobre o meio ambiente, incluindo a conservação de energia.

Emissões: liberação de substâncias (por exemplo, gases de efeito estufa) na atmosfera.

Emissões Antropogênicas de Gases de Efeito Estufa (GEE): emissões de gases de efeito estufa resultantes de atividades humanas.

Energia: capacidade de realizar trabalho ou de mover um objeto. A energia elétrica é geralmente medida em quilowatts-hora (kWh), enquanto que a energia térmica é geralmente medida em unidades térmicas britânicas (BTU).

Energia Geotérmica: calor ou energia que é produzido por processos naturais no interior da Terra. Os recursos geotérmicos vão desde os solos superficiais até as águas e rochas quentes a vários quilômetros abaixo da superfície da Terra e, ainda mais para baixo, até a rocha derretida extremamente quente chamada magma.

Energia Não Renovável: as fontes de energia não renováveis originam-se do solo, como líquidos, gases e sólidos e não podem ser reabastecidas em um curto período de tempo. As fontes não renováveis de energia podem ser categorizadas em combustíveis fósseis (por exemplo, petróleo, gás natural e carvão) e nuclear (urânio, por exemplo). A maior parte da energia que consumimos é a partir de fontes não renováveis.

Energia Química: energia armazenada em uma substância e liberada durante uma reação química, como a queima de lenha, carvão ou óleo.

Energia Renovável: é a energia derivada de fontes que não usam combustíveis esgotáveis (por exemplo, água - energia hidrelétrica; vento - energia eólica; sol - energia solar; marés e fontes geotérmicas). Alguns materiais combustíveis, como a biomassa, também podem ser considerados renováveis. Geralmente, a geração de energia renovável (com a exceção de geotérmica e hidrelétrica) não emite GEEs.

Energia Solar: é a energia radiante do sol, que pode ser convertida em outras formas de energia, como calor ou eletricidade.

Energia vampira ou energia standby: qualquer aparelho que consome energia, mesmo quando está desligado. Os exemplos incluem carregadores de equipamentos, aparelhos com relógios ou cronômetros eletrônicos, aparelhos com controle remoto, A enegia vampira pode representar uma parte significativa (6%) do uso de energia elétrica de uma família.

Entrada em Vigor: ponto a partir do qual os acordos internacionais sobre mudanças climáticas tornam-se obrigatórios. A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês) entrou em vigor em 1994. Para que o Protocolo de Quito entrasse em vigor, 55 partes da Convenção deveriam ratificá-lo. O Protocolo entrou em vigor em fevereiro de 2005, o que tornou suas metas de emissões compromissos legais obrigatórios para os países industrializados que o ratificaram.

Equidade Intergeracional: equidade da distribuição dos custos e benefícios de uma política quando os custos e benefícios são suportados por diferentes gerações. No caso de uma política de mudança climática, os impactos da falta de ação no presente serão sentidos nas gerações futuras.

Estoque de Capital: investimentos existentes em usinas de energia e equipamentos que podem ou não ser modificados uma vez instalados.

Estratosfera: é segunda camada da atmosfera, compreendida entre a troposfera e a mesosfera. Situa-se de 10 a 50 km acima da superfície do planeta.

Etanol: combustível líquido, incolor, inflamável e de odor característico, obtido a partir da fermentação de substâncias açucaradas ou amiláceas. No Brasil, a principal matéria-prima para obtenção do etanol é a cana-de-açúcar. Sua queima produz água e dióxido de carbono. O vapor forma uma mistura explosiva com o ar e pode ser usado como combustível em motores de combustão interna.

Evapotranspiração: processo pelo qual a água volta à atmosfera através da perda de água do solo por evaporação e da perda de água das plantas por transpiração.

Expansão Térmica: expansão de uma substância, como resultado da adição de calor. No contexto das mudanças climáticas, a expansão térmica dos oceanos em resposta ao aquecimento global é considerada o condutor predominante da elevação atual e futura do nível do mar.

Fator de Carga de um Sistema: é a razão entre a carga média e a carga de pico durante um período específico de tempo, expressa como uma porcentagem. O fator de carga indica até que ponto a energia foi consumida em comparação à demanda máxima, ou a utilização de unidades relativas à capacidade total do sistema. O fator de carga de um sistema elétrico mostra a variabilidade de todas as demandas dos consumidores.

Fator de Perda de Calor em Construções: medida das necessidades de aquecimento de um edifício expressa em BTU por graus-dia.

Feedback Negativo: processo que resulta em uma redução na resposta de um sistema a uma influência externa. Por exemplo, o aumento da produtividade de uma planta em resposta ao aquecimento global seria um feedback negativo sobre o aquecimento, porque o crescimento adicional atuaria como um sumidouro de CO2, reduzindo a concentração atmosférica deste GEE.

Feedback Positivo: processo que resulta em uma amplificação da resposta de um sistema a uma influência externa. Por exemplo, o aumento do vapor de água atmosférico, em resposta ao aquecimento global, seria um feedback positivo sobre o aquecimento, porque o vapor de água é um GEE.

Florestamento: conversão induzida diretamente pelo homem de terra que não foi florestada por um período de, pelo menos, 50 anos, em terra florestada por meio de plantio, semeadura e/ou a promoção induzida pelo homem de fontes naturais de sementes.

Fluxo Convectivo de Ar: movimento do ar, em que o ar menos denso (mais quente) é é deslocado pelo ar mais denso (mais frio). Muitas vezes é expresso pela frase "o ar quente sobe". O fluxo convectivo de ar pode ser útil se controlado, como, por exemplo, em sistemas de de aquecimento de ar por gravidade, mas normalmente é um contribuinte para a perda de calor.

Fonte de Emissão: qualquer processo ou atividade que resulta na liberação líquida de gases de efeito estufa, aerossóis ou precursores de gases de efeito estufa na atmosfera.

Fora dos Períodos de Pico/Em Períodos de Pico: períodos de tempo quando a demanda de energia e o preço estão baixos (fora do período de pico) ou altos (no período de pico).

Forçamento Radiativo: o termo forçamento radiativo refere-se às mudanças no balanço da energia incidente e da energia emergente do planeta Terra, em resposta a uma mudança de fatores, tais como gases de efeito estufa, uso da terra, ou radiação solar. O sistema climático inerentemente tenta equilibrar a radiação que entra (por exemplo, luz) e a que sai (por exemplo, calor). O forçamento radiativo positivo aumenta a temperatura da troposfera, que por sua vez, aumenta a temperatura da superfície da Terra. Já o forçamento radiativo negativo esfria a troposfera. O forçamento radiativo é comumente medido em unidades de watts por metro quadrado (W/m2).

Gás de Aterro (LFG, sigla em inglês): gás produzido durante a decomposição anaeróbica de substâncias orgânicas provenientes de lixo municipal e é composto por metano (CH4), dióxido de carbono (CO2) e nitrogênio (N2). O gás de aterro é um combustível de alto valor para motores a gás, podendo ser usado efetivamente para geração de energia.

Gaseificação Integrada e Ciclos Combinados (IGCC, sigla em inglês): processo alternativo para alcançar melhorias de eficiência nas usinas convencionais de carvão pulverizado. As usinas IGCC utilizam um gaseificador para converter o carvão (ou outros materiais à base de carbono) para um gás sintético, que aciona uma turbina de ciclo combinado para produzir eletricidade.(World Coal Institute)

Gases de Efeito Estufa (GEE): constituintes gasosos da atmosfera, naturais ou antrópicos, que retém calor. Segundo o Protocolo de Quioto, são eles: dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O), hexafluoreto de enxofre (SF6), acompanhados por duas famílias de gases, hidrofluorcarbonos (HFCs), e perfluorcarbonos (PFCs).

Gás Liquefeito de Petróleo (GLP): grupo de gases à base de hidrocarbonetos derivados do refino de petróleo bruto ou fracionamento do gás natural. Estes gases incluem: etileno etano, propano, propileno, butano normal, butilenos, isobutano e isobutileno. Para facilidade de transporte, estes gases são liquefeitos através de pressurização.

Gás Natural: combustível fóssil inodoro, incolor, insípido, não tóxico, e de queima limpa. Geralmente é encontrado em depósitos de combustíveis fósseis e usado como combustível.

Gás para Líquido (GTL, sigla em inglês): processo que combina os elementos carbono e hidrogênio das moléculas de gás natural para produzir produtos líquidos sintéticos derivados do petróleo, como o óleo diesel.

Gás Traço: termo usado para se referir a gases encontrados na atmosfera que não sejam nitrogênio, oxigênio, argônio e vapor de água. Quando esta terminologia é usada, o dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso são classificados como gases traço. Apesar de os gases traço em conjunto representarem menos de 1% da atmosfera, o dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso são importantes no sistema climático. O vapor de água também desempenha um papel importante no sistema climático; suas concentrações na troposfera variam consideravelmente de essencialmente zero, nas massas de ar frio e seco, a possivelmente 4% em volume, em massas de ar úmido tropical.

Gerador: dispositivo que transforma energia mecânica em energia elétrica. A energia mecânica é algumas vezes fornecida por um motor ou turbina.

Grupo dos 77 e China, ou G77/China: organização internacional criada em 1964 por 77 países em desenvolvimento; sendo que hoje representa mais de 130 países. O grupo atua como um bloco importante de negociação em alguns assuntos, incluindo as mudanças climáticas.

Grupos Regionais: os cinco grupo regionais reunem-se reservadamente para discutir questões e nomear membros do Conselho e outras autoridades. Os grupos são: África, Ásia, Europa Central e Oriental (CEE, sigla em inglês), América Latina e Caribe (GRULAC, sigla em inglês), e Europa Ocidental e Outros Grupos (WEOG, sigla em inglês).

Grupo Umbrella: grupo de negociação dentro do processo da UNFCCC, composto pelos Estados Unidos, Canadá, Japão, Austrália, Nova Zelândia, Noruega, Islândia, Rússia e Ucrânia.

Hexafluoreto de Enxofre (SF6): é um dos seis gases de efeito estufa controlados pelo Protocolo de Quioto. O SF6 é um gás industrial sintético largamente utilizado na indústria pesada para isolar equipamentos de alta tensão e para auxiliar na fabricação de sistemas de cabo de refrigeração. Não há fontes naturais de SF6. Esse gás tem uma vida útil atmosférica de 3.200 anos. Seu GWP de 100 anos é 23.900 vezes maior do que o do CO2.

Hidrocinética e Dispositivos de Conversão de Energia das Ondas: geração de energia elétrica a partir de ondas ou diretamente a partir do fluxo de água nas correntes oceânicas, marés, ou cursos de água interiores.

Hidrofluorcarbonos (HFCs): os HFCs são gases industriais sintéticos, utilizados principalmente na refrigeração e na fabricação de semi-condutores como substitutos comerciais para os clorofluorcarbonos (CFCs). Não há fontes naturais de HFCs. Esses gases têm uma vida útil atmosférica de décadas a séculos, e apresentam GWPs de 100 anos milhares de vezes maior do que o CO2, dependendo do gás. Os HFCs estão entre os seis gases de efeito estufa controlados pelo Protocolo de Quioto.

Hidrogênio: elemento gasoso, incolor, inodoro, e altamente inflamável. É o mais leve de todos os gases e o elemento mais abundante no universo, ocorrendo principalmente em combinação com o oxigênio na água e também em ácidos, bases, álcoois, petróleo e outros hidrocarbonetos.

Idade do Equipamento: se você não comprou o seu equipamento novo ou não se lembra da data de sua compra, você pode contactar um distribuidor local para saber como determinar o ano do modelo do seu aparelho. Você também pode procurar a idade do seu equipamento na internet.

Ilha de Calor Urbano: refere-se à tendência das áreas urbanizadas apresentarem temperaturas do ar mais quentes do que as áreas menos urbanizadas ou periféricas, que inclusive podem ser areas agrícolas, devido ao baixo albedo de ruas, calçadas, estacionamentos e edifícios. Essas superfícies absorvem a radiação solar durante o dia e a liberam durante a noite, resultando em temperaturas mais elevadas neste período.

Impacto das Mudanças Climáticas: efeito das mudanças climáticas sobre a estrutura ou função de um sistema.

Implementação Conjunta (JI, sigla em inglês): um dos três mecanismos de mercado estabelecidos pelo Protocolo de Quioto. A Implementação Conjunta ocorre quando um país do Anexo B investe em projetos de redução de emissões ou remoção de GEE em outro país do Anexo B para ganhar unidades de redução de emissões (ERU, sigla em inglês), a fim de cumprir seus compromissos quantificados de limitação e redução de emissões de GEE.

Imposto sobre Carbono: imposto proporcional às emissões de CO2, que pode ser colocado sobre o carbono contido no óleo, carvão e gás, visando reduzir o uso de combustíveis fósseis e, assim, as emissões de dióxido de carbono.

Incerteza: a incerteza é uma característica proeminente dos benefícios e custos das mudanças climáticas. Os tomadores de decisão devem comparar o risco de ações prematuras ou desnecessárias com o risco de não tomar medidas que, posteriormente, sejam justificadas. Isso é complicado pelas potenciais irreversibilidades nos impactos do clima e investimentos de longo prazo.

Índice de Eficiência Energética (IEE): o IEE de um dispositivo de refrigeração é a razão entre a capacidade de resfriamento em BTU/h e os watts de energia consumidos em uma determinada temperatura exterior (geralmente 35°C). Enquanto o Índice de Eficiência Energética Sazonal considera a eficiência de um ano (kWh), o IEE é uma medida da utilização máxima em um determinado momento (kW).

Inovação Tecnológica: o quanto a inovação tecnológica será adicionalmente induzida pelas políticas climáticas é um fator crucial, mas não bem quantificado, para avaliar os custos de longo prazo da mitigação das emissões de gases de efeito estufa.

Janelas Low-E: janelas que são revestidas com uma película de vidro metálico (de baixa emissividade) para resistir ao fluxo de calor radiante.

Lâmpada Fluorescente Compacta (LFC): versão menor das lâmpadas fluorescentes padrão que pode substituir diretamente as lâmpadas incandescentes convencionais. Estas lâmpadas consistem de um tubo cheio de gás e de um reator magnético ou eletrônico. As LFCs mais novas são muito melhores. Elas se encaixam na maioria dos dispositivos de iluminação, apresentam tons de cores mais quentes e vida útil mais longa. As LFCs reduzem a energia utilizada em 75% em relação a uma lâmpada incandescente e duram de 6 a 10 anos.

Lâmpada Incandescente: lâmpada que produz luz pela passagem de corrente elétrica por um filamento fino, aquecendo o filamento e fazendo com que o mesmo emita luz. As lâmpadas convencionais com base de rosca são as lâmpadas incandescentes.

LCD (Liquid Crystal Display). Display de Cristal Líquido: tecnologia que utiliza cristais líquidos para criar imagens. O monitor LCD é a tecnologia de vídeo mais popular para computadores desktop e laptop.

LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). Liderança em Energia e Design Ambiental: sistema de classificação pelo Conselho de Construção Verde dos EUA (USGBC, sigla em inglês), que classifica em cinco categorias o quão "verde" é uma construção: local do projeto, eficiência energética, eficiência de recursos, eficiência de água, e saúde e qualidade do ar interior. Anteriormente, o sistema LEED era apenas para edifícios comerciais, sendo que está em expansão para casas (veja abaixo).

LEED para Casas: sistema de classificação voluntário do USGBC, que promove o projeto e a construção de casas de alto desempenho "verde". A casa verde usa menos energia, água e recursos naturais; gera menos resíduos, e é mais saudável e mais confortável para os moradores. O USGBC está desenvolvendo um padrão LEED para casas já existentes. (USGBC)

Limite de Emissões: restrição obrigatória em um período de tempo programado que coloca um "teto" sobre o montante total de emissões antrópicas de gases de efeito estufa que pode ser liberado para a atmosfera, o qual pode ser medido como emissões brutas ou emissões líquidas (emissões menos os gases que são sequestrados).

Linha de Base: parâmetro relativo ao nível de emissões de GEE. As linhas de base são utilizadas como comparativo entre as emissões que ocorreriam sem a implementação de qualquer política (business as usual) e a intervenção de alguma política climática. Elas determinam o quanto de redução de emissão de GEE um país deverá assumir e o impacto das mudanças climáticas sem políticas apropriadas. O cálculo da linha de base leva em consideração estimativas populacionais, o produto interno bruto, o consumo energético e a resultante emissão de GEE sem a presença de políticas climáticas. As linhas de base diferem quanto aos graus de agregação que podem ser nacional, setorial ou de projeto.

Material Particulado (MP): conjunto de poluentes constituídos de poeiras, fumaças e todo tipo de material sólido e líquido que se mantém suspenso na atmosfera por causa de seu pequeno tamanho. As principais fontes de emissão de particulado para a atmosfera são: veículos automotores, processos industriais, queima de biomassa, ressuspensão de poeira do solo, entre outros. O material particulado também pode se formar na atmosfera a partir de gases, como dióxido de enxofre (SO2), óxidos de nitrogênio (NOx) e compostos orgânicos voláteis (COVs), que são emitidos principalmente em atividades de combustão, transformando-se em partículas como resultado de reações químicas no ar.

Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL): O MDL é o único dos três mecanismos de flexibilidade, introduzidos pelo Protocolo de Quioto, que envolve países em desenvolvimento. Seus dois objetivos básicos são: assessorar os países do Anexo I a cumprirem suas metas de redução de emissão a um custo mais barato e, ao mesmo tempo, colaborar para que os países em desenvolvimento possam atingir a sustentabilidade. O MDL permite a implementação de projetos, nos países que não estão incluídos no Anexo I, de retirada de GEE da atmosfera, possibilitando a criação de Reduções Certificadas de Emissão (CERs), representativas de créditos. O MDL é, portanto, o instrumento de mercado do Protocolo aplicável ao Brasil.

Mecanismos de Quioto: o Protocolo de Quito estabelece três mecanismos baseados no mercado que têm o potencial para ajudar os países a reduzir o custo do cumprimento de suas metas de redução de emissões. Estes mecanismos são a Implementação Conjunta, o Comércio de Emissões, e o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo.

Medição Líquida (ou Tarifa de Dedução): para aqueles consumidores que têm suas próprias unidades geradoras de eletricidade, a medição líquida permite o fluxo de eletricidade do consumidor e para o consumidor por meio de um único medidor bidirecional. Isso quer dizer que o cliente da concessionária, que gera sua própria energia e a injeta na rede, pagará ao final do mês a diferença entre o que consumiu e o que gerou. Se a geração for maior que a carga, o consumidor recebe um crédito em energia ou em dinheiro na próxima fatura.

Megawatt (MW): unidade de energia elétrica igual a 1.000 kilowatts ou 1.000.000 watts.

Mercado Spot: mercado de commodities em que os negócios são realizados com pagamento à vista e entrega imediata de mercadorias. É um termo utilizado na compra de eletricidade por atacado pelos fornecedores dentro da organização de transmissão regional.

Metais Pesados: elementos metálicos, com pesos atômicos elevados; (por exemplo, mercúrio, cromo, cádmio, arsênico e chumbo); podem prejudicar os seres vivos em baixas concentrações e tendem a se acumular na cadeia alimentar.

Metano (CH4): gás incolor, inflamável e não tóxico, gerado pela decomposição anaeróbia de compostos orgânicos. É um dos componentes principais do gás natural utilizado em casa. O CH4 está entre os seis gases de efeito estufa controlados pelo Protocolo de Quioto. O CH4 atmosférico é produzido por processos naturais, mas também há emissões significativas provenientes de atividades humanas, tais como aterros sanitários, pecuária e seus resíduos, sistemas de gás natural e petróleo, minas de carvão, campos de arroz, e tratamento de águas residuais. O CH4 tem uma vida útil relativamente curta na atmosfera de aproximadamente 10 anos, mas seu GWP de 100 anos é atualmente estimado em cerca de 21 vezes superior ao do CO2.

Metas e Prazos: as metas referem-se aos níveis de emissão ou taxas de emissão estabelecidos como objetivos para os países, setores, empresas ou instalações. Quando esses objetivos devem ser alcançados em anos específicos, estes anos são referidos como prazos. No Protocolo de Quioto, uma meta é a porcentagem de redução das emissões da linha de base de 1990 que o país concordou em cumprir. Em média, os países desenvolvidos concordaram em reduzir as emissões em 5,2% abaixo das emissões de 1990 durante o período de 2008-2012, o primeiro período de compromisso.

Micro Barragens: uma micro usina hidrelétrica tem uma capacidade de até 100 kilowatts. Uma pequena ou micro hidrelétrica pode produzir energia suficiente para uma casa, fazenda, ou vilarejo. Ao contrário das hidrelétricas de grande escala, ela não interfere significativamente na vazão dos rios.

Mitigação: ações para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e consequentemente, amenizar as mudanças climáticas.

Modelo de Circulação Geral (GCM, sigla em inglês): modelo computacional da dinâmica e física básicas dos componentes do sistema climático global (incluindo a atmosfera e os oceanos) e suas interações, que pode ser utilizado para simular a variabilidade e as mudanças do clima.

Monóxido de Carbono: é um gás incolor, inodoro e tóxico produzido pela combustão incompleta de combustíveis fósseis.

Mudança Climática: refere-se às mudanças nas tendências de longo prazo no clima médio, tais como mudanças na temperatura média. No âmbito do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês), a mudança climática refere-se a qualquer mudança no clima ao longo do tempo, seja devido à variabilidade natural ou como resultado da atividade humana. No âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês), a mudança climática refere-se a uma mudança no clima que é atribuída direta ou indiretamente às atividades humanas que alteram a composição atmosférica.

Não Parte: um país que não ratificou a UNFCCC. As não partes podem participar de negociações como observadores.

Óleo para Aquecimento: é um produto líquido derivado do petróleo utilizado em caldeiras ou fornos. O óleo para aquecimento é normalmente entregue por caminhão nos edifícios residenciais e comerciais.

Ônibus Intermunicipal: ônibus usado para viajar de uma cidade para outra, geralmente dezenas a centenas de quilômetros de distância, com poucas paradas.

Orgão Subsidiário de Assessoria Técnica e Científica (SBSTA, sigla em inglês): órgão permanente estabelecido pela UNFCCC, que serve como um elo entre as fontes de informação especializadas, como o IPCC e a COP.

Órgão Subsidiário de Implementação (SBI, sigla em iglês): órgão permanente estabelecido pela UNFCCC, que realiza recomendações à COP sobre questões políticas e de implementação. É aberto à participação de todas as partes e é composto por representantes do governo.

Óxido de Nitrogênio (NOx): é gerado a partir de reações fotoquímicas de óxido nítrico no ar ambiente; e é um dos componentes principais do smog fotoquímico. O NOx é um produto da combustão do transporte e de fontes fixas, sendo um dos principais contribuintes para a formação de ozônio na troposfera e para a chuva ácida.

Óxido Nitroso (N2O): o N2O está entre os seis gases de efeito estufa controlados pelo Protocolo de Quioto. Ele é produzido por processos naturais, mas também há emissões significativas provenientes de atividades humanas, tais como a agricultura e a queima de combustíveis fósseis. O tempo de vida útil atmosférica do N2O é de aproximadamente 100 anos, e seu GWP de 100 anos é atualmente estimado em 310 vezes maior que o do CO2.

Ozônio Troposférico: na troposfera, o ar próximo à superfície da Terra, ao nível do solo ou ozônio "ruim" é um poluente que apresenta um risco significativo à saúde, especialmente para crianças com asma. Ele também prejudica plantações, árvores e outras vegetações. É um dos componentes principais do smog urbano.

Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês): o IPCC foi criado em 1988 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e pela Organização Mundial de Meteorologia (OMM). O IPCC é responsável por fornecer as bases científicas e técnicas para a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês), principalmente por meio da publicação periódica dos relatórios de avaliação (ver "Segundo Relatório de Avaliação" e "Terceiro Relatório de Avaliação")

Pegada de Carbono: conjunto total das emissões de gases de efeito estufa causadas direta e indiretamente por um [indivíduo, evento, organização, produto], expressa em CO2e.

Perfluorcarbonos (PFCs): os PFCs estão entre os seis gases de efeito estufa controlados pelo Protocolo de Quioto.Os PFCs são gases industriais sintéticos, gerados como um subproduto da fundição de alumínio e do enriquecimento de urânio. Eles também são usados como substitutos para os CFCs na fabricação de semicondutores. Não há fontes naturais de PFCs. Esses gases têm vida útil atmosférica de milhares a dezenas de milhares de anos, e seus GWPs de 100 anos são milhares de vezes maior que o do CO2, dependendo do gás.

Período de Compromisso: período do Protocolo de Quioto, durante o qual as emissões de GEE das partes do Anexo I devem estar dentro de suas metas de emissão. O primeiro período de compromisso do Protocolo vai de 01 de janeiro de 2008 a 31 de dezembro de 2012.

Permissão de Emissões: autorização para emitir uma quantidade fixa de um poluente, geralmente relacionado a um gás de efeito estufa.

Pico no Consumo Diário de Energia: a maior quantidade de eletricidade utilizada durante um determinado período em um dia, como uma hora, meia hora, ou quarto de hora.

Planos de Ação Nacionais: planos apresentados para a Conferência das Partes (COP) por todas as partes, definindo os passos que elas adotaram para limitar suas emissões antropogênicas de GEE. Os países devem apresentar tais planos como uma condição para participar da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima e, posteriormente, devem comunicar regularmente o seu progresso à COP.

Potência: potência é a rapidez com a qual certa quantidade de energia é transformada ou é a rapidez com que o trabalho é realizado. A unidade de potência utilizada domesticamente é o W (watt), dimensionalmente igual a joule por segundo (J.s–1).

Potencial de Aquecimento Global (GWP, sigla em inglês): é o índice utilizado para traduzir o nível de emissões de vários gases em uma medida comum e passível de comparação, sem ter de calcular diretamente as mudanças nas concentrações atmosféricas. Os GWPs são calculados como a taxa da força radioativa que resultaria das emissões de 1Kg de gás de efeito estufa que equivaleria a 1Kg de CO2 dentro de um período de tempo (usualmente 100 anos), os GEEs são expressos em termos de Dióxido de Carbono Equivalente. Por exemplo, ao longo dos próximos 100 anos, estima-se atualmente que um grama de metano (CH4) na atmosfera tenha 21 vezes o efeito do aquecimento de um grama de dióxido de carbono; o GWP do metano de 100 anos é, portanto, 21. As estimativas de GWP variam dependendo da escala de tempo considerado, porque os efeitos de alguns GEEs são mais persistentes do que outros.

Potencial de Aquecimento Global Elevado (HGWP, sigla em inglês): alguns gases produzidos industrialmente, como o hexafluoreto de enxofre (SF6), os perfluorcarbonos (PFCs) e os hidrofluorcarbonos (HFCs) apresentam GWPs extremamente altos. As emissões destes gases têm um efeito muito maior sobre o aquecimento global do que uma mesma emissão (em peso) dos gases que ocorrem naturalmente. A maioria destes gases apresentam GWPs de 1.300 - 23.900 vezes maior do que o CO2. Estes GWPs podem ser comparados com os GWPs do CO2, CH4, N2O, os quais são atualmente estimados em 1, 21 e 310, respectivamente.

ppm ou ppb: abreviações de "partes por milhão" e "partes por bilhão", respectivamente - unidades em que as concentrações de gases de efeito estufa são comumente apresentadas. Por exemplo, desde a era pré-industrial, as concentrações atmosféricas de dióxido de carbono aumentaram de 270 ppm para 370 ppm.

Princípio do Poluidor Pagador (PPP): princípio de que os países devem, de alguma forma, compensar os outros países pelos efeitos da poluição que eles (ou seus cidadãos) geram ou geraram.

PROCEL: O Selo Procel Eletrobras de Economia de Energia, instituído em 1993, é um produto desenvolvido e concedido pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), coordenado pelo Ministério de Minas e Energia. Tem por objetivo indicar ao consumidor os produtos que apresentam os melhores níveis de eficiência energética dentro de cada categoria, por meio do CEE – Coeficiente de Eficiência Energética. A classificação é divida em A, B, C, D e E (A= maior eficiência e E= menor eficiência). Quanto maior o CEE, mais eficiente e econômico será o aparelho. (fonte: www.eletrobras.com)

Projeto Solar Passivo (Construção): projeto de construção que utiliza elementos estruturais de uma construção para aquecer e refrigerar um edifício sem o uso de equipamentos mecânicos. Isso exige uma análise cuidadosa do clima local e das fontes de energia solar, orientação da construção e características da paisagem. O calor é distribuído principalmente por convecção e radiação naturais, embora ventiladores também possam ser utilizados para circular o ar ambiente ou garantir uma ventilação adequada.

Protocolo de Montreal (para Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio): acordo internacional que entrou em vigor em janeiro de 1989 para eliminar gradativamente o uso de compostos que destroem o ozônio, tais como metil clorofórmio, tetracloreto de carbono, e CFCs. Os CFCs são gases de efeito estufa que não são regulados pelo Protocolo de Quioto, uma vez que são abrangidos pelo Protocolo de Montreal.

Protocolo de Quioto: acordo internacional aprovado em dezembro de 1997, em Quioto, no Japão. O Protocolo estabelece metas de emissões obrigatórias para os países desenvolvidos que devem reduzir suas emissões em média 5,2% abaixo dos níveis de 1990 até 2012. O Protocolo entrou em vigor em fevereiro de 2005, o que tornou suas metas de emissões compromissos legais obrigatórios para os países industrializados que o ratificaram.

Quantidade Atribuída: total de gases de efeito estufa que cada país do Anexo B pode emitir durante o primeiro período de compromisso do Protocolo de Quioto (2008-2012) . É calculada utilizando-se o Compromisso Quantificado de Limitação e Redução de Emissões (QELRC, sigla em inglês), juntamente com regras que especificam como e quais emissões devem ser contabilizadas. Uma unidade de quantidade atribuída é uma unidade comercializável que equivale a uma tonelada equivalente de dióxido de carbono (tCO2e).

Quilowatt (kW): unidade de potência, geralmente usada para energia elétrica ou para consumo de energia (uso). Um quilowatt equivale a 1.000 watts.

Quilowatt-hora (kWh): unidade de energia elétrica. Um quilowatt-hora é a quantidade de energia consumida por 1.000 watts de energia elétrica em uma hora. Uma lâmpada de 100 watts utilizada durante 100 horas vai consumir 10 quilowatts-hora de eletricidade. Quilowatt-hora é a unidade de cobrança mais comum para o consumo de eletricidade residencial.

Radiossondas: sensores a bordo de balões meteorológicos, que estão em uso contínuo desde 1979 para o monitoramento das temperaturas na troposfera.

Ratificação: após a assinatura da UNFCCC ou do Protocolo de Quioto, um país deve ratificá-lo, muitas vezes com a aprovação do seu parlamento ou outra legislatura. No caso do Protocolo de Quioto, uma Parte deve depositar o seu instrumento de ratificação junto à Secretaria Geral da ONU em Nova York.

Reator: dispositivo usado para controlar a voltagem em uma lâmpada fluorescente.

Reciclagem de Renda: quando as permissões de emissão são leiloadas, são geradas quantidades consideráveis de dinheiro para ser reinjetado na economia, inclusive através do pagamento de um montante fixo de compensação de outros impostos. Se os impostos existentes que são reduzidos proporcionalmente forem muito ineficientes, isto permite a possibilidade de benefícios ambientais e econômicos do sistema de comércio, comumente chamado de "duplo dividendo".

Recursos Energéticos: representam a oferta e o preço disponíveis das fontes fósseis e alternativas no mix energético de um país. Desempenham um papel importante na estimativa de quanto uma restrição de gases de efeito estufa custará. No contexto brasileiro, o fornecimento e o preço do petróleo são particularmente importantes, pois é em cima da substituição da geração de eletricidade dos derivados do petróleo que o Brasil espera descarbonizar ainda mais a sua matriz energética.

Rede: rede para a transmissão de energia elétrica ao longo de um estado, região ou país. O termo também é usado para se referir ao layout de um sistema de distribuição elétrica.

Redirecionamento: converter ou utilizar um objeto em uma forma que não estava prevista inicialmente.

Redução Certificada de Emissões (CER, sigla em inglês): representa as reduções de emissões de GEE decorrentes de atividades de projetos elegíveis para o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) e que tenham passado por todo o Ciclo de Projeto do MDL. Uma unidade de CER é igual a uma tonelada métrica de dióxido de carbono equivalente. As CERs podem ser utilizadas pelas partes do Anexo I como forma de cumprimento parcial de suas metas de redução de emissão de GEE.

Redução da Carga de Pico: redução da carga elétrica durante os momentos em que a demanda de energia elétrica é alta, como em um dia quente de verão. A redução da carga pode ser realizada em resposta à demanda temporária, deslocamento de carga, ou por meio da redução permanente da demanda devido à eficiência energética.

Reflorestamento: é a conversão, induzida pelo homem, de terra não florestada em terra florestada, por meio de plantio, semeadura e/ou a promoção induzida pelo homem de fontes naturais de sementes, em área que foi florestada, mas convertida em terra não florestada. Para o primeiro período de compromisso, as atividades de reflorestamento estão limitadas ao reflorestamento que ocorra nas terras que não continham floresta em 31 de dezembro de 1989.

Registro de Mauna Loa: registro de medições das concentrações atmosféricas de CO2 realizadas no Observatório de Mauna Loa, no Havaí, desde março de 1958. Esse registro mostra o aumento contínuo da média anual das concentrações atmosféricas de CO2.

Regulação Baseada em Incentivos: regulamento que usa o comportamento econômico das empresas e das famílias para atingir objetivos ambientais desejados. Os programas baseados em incentivos envolvem impostos sobre emissões ou licenças de emissão negociáveis. A força principal da regulação baseada em incentivos é a flexibilidade que ela fornece ao poluidor para que ele encontre a maneira menos onerosa de reduzir suas emissões.

Resíduos Sólidos Urbanos (RSU): lixo ou entulho comum gerado pelas indústrias, empresas, instituições e casas.

Resiliência: é a capacidade de um sistema restabelecer seu equilíbrio após este ter sido rompido por um distúrbio, ou seja, é sua capacidade de recuperação. Difere de resistência, que é a capacidade de um sistema de manter sua estrutura e funcionamento após um distúrbio.

Retardador de Ar: material ou elemento estrutural que inibe o fluxo de ar para dentro e para fora da superfície de um edifício. Pode ser a parede de uma casa, que reduz a infiltração de ar, e a exfiltração ainda permite que a água se propague facilmente através dela. Uma barreira de ar é um conjunto de materiais e detalhes de construção que reduz severamente a infiltração de ar.

Secretariado da Convenção-Quadro das Nações Unidas: quadro de funcionários das Nações Unidas que possui a responsabilidade de conduzir as questões da UNFCCC. Em 1996, o Secretariado passou de Genebra, na Suíça, para Bonn, na Alemanha.

Segundo Relatório de Avaliação (SAR, sigla em inglês): O Segundo Relatório de Avaliação, preparado pelo IPCC, revisou a literatura científica existente sobre a mudança climática. O relatório foi finalizado em 1995, e é composto por três volumes: Ciência; Impactos, Adaptação e Mitigação; e Dimensões Econômicas e Sociais das Mudanças Climáticas.

Sensibilidade Climática: mudança global média da temperatura resultante de uma duplicação das concentrações atmosféricas de CO2 em relação às observadas antes da Revolução Industrial, O IPCC estima uma sensibilidade climática de 1,5-4,5°C.

Sequestro: oportunidades para remover o CO2 da atmosfera, seja por meio de processos biológicos, como a fotossíntese, ou por meio de processos geológicos de armazenamento de CO2 em reservatórios subterrâneos.

Sequestro de Carbono Florestal: captura de CO2 da atmosfera por meio da fotossíntese, também chamada de fixação de carbono.

Sistema: uma população ou ecossistema, ou um agrupamento de recursos naturais, espécies, infra-estrutura, ou outros recursos.

Sistemas de Classificação de Energia Doméstica (HERS, sigla em inglês): programa de classificação de energia reconhecido nacionalmente, que fornece aos construtores, financiadores de hipotecas, mercados secundários de crédito, proprietários, vendedores e compradores, uma avaliação precisa das características de energia em residências. Os construtores podem utilizar este sistema para medir a qualidade da energia em sua casa e também para ter uma avaliação sobre esta casa, a qual pode ser comparada a outras casas construídas de maneira similar por potenciais compradores e financiadores.

Sistemas Sustentáveis de Energia: sistemas sustentáveis (ou renováveis) de energia são aqueles que fornecem serviços energéticos para a população sem esgotar os recursos, colocar o planeta em perigo, ou comprometer a capacidade das gerações futuras de utilizar os mesmos serviços de energia.

Substituição: processo econômico de troca de insumos e consumo, devido às mudanças nos preços decorrentes de uma restrição sobre as emissões de gases de efeito estufa.

Sumidouros: quaisquer processos, atividades ou mecanismos, incluindo a biomassa e, em especial, florestas e oceanos, que têm a propriedade de remover um gás de efeito estufa, aerossóis ou precursores de gases de efeito estufa da atmosfera.

Sumidouros de Carbono: processos que removem mais dióxido de carbono da atmosfera do que liberam. Tanto a biosfera terrestre como os oceanos podem atuar como sumidouros de carbono.

Tanque de Alta Eficiência: aquecedor de água quente com tanque, de gás natural, com um fator de energia de pelo menos 0,62 (O fator de energia é uma medida da energia térmica na água quente relativa à entrada de energia para o aquecedor de água; um número mais alto indica maior eficiência).

Tanque de Alto Desempenho: aquecedor de água quente com tanque, de gás natural, com um fator de energia de pelo menos 0,67 (O fator de energia é uma medida da energia térmica na água quente relativa à entrada de energia para o aquecedor de água; um número mais alto indica maior eficiência).

Tempo: descreve as condições da atmosfera em curto prazo (por exemplo, a cada hora e a cada dia).Tempo não é o mesmo que clima.

Terceiro Relatório de Avaliação (TAR, sigla em inglês): este Relatório revisou a literatura científica existente sobre a mudança climática, incluindo novas informações adquiridas desde a conclusão do Segundo Relatório de Avaliação (SAR). O TAR foi finalizado em 2001, e é composto por três volumes: Ciência; Impactos e Adaptação; e Mitigação.

Termografia Infravermelha: ciência do uso de imagem infravermelha para detectar energia radiante ou a perda de calor em um edifício. A câmera infravermelha ou scanner detecta eletronicamente o calor irradiado por objetos e converte essa energia térmica em imagens visíveis ao olho humano. Alguns scanners podem gravar automaticamente estas imagens em vídeo. Utilizado em conjunto com uma blower door durante as auditorias domésticas, o scanner pode fornecer dados valiosos sobre os locais de vazamento de ar e desvios térmicos.

Termostato Convencional: termostato que não tem uma classificação ENERGY STAR e pode ter um interruptor de mercúrio.

Termostato Programável: termostato para aquecimento e refrigeração, que permite que a temperatura seja configurada automaticamente para um valor que resulta em menor aquecimento ou refrigeração, nos períodos em que os mesmos não são necessários.

Trem intermunicipal: trem usado para viajar de uma cidade para outra, geralmente dezenas a centenas de quilômetros de distância, com poucas paradas.

Troposfera: é a porção mais baixa da atmosfera terrestre. Situa-se de 0 a 10 km acima da superfície do planeta.

Turbina: dispositivo com lâminas, que é girado por uma força, por exemplo, a força do vento, da água, ou do vapor de alta pressão. A energia mecânica da turbina girando é convertida em eletricidade por um gerador.

Unidade de Redução de Emissão (ERU, sigla em inglês): reduções de emissões geradas por projetos nos países do Anexo B que podem ser utilizadas por outro país do Anexo B para ajudá-lo a cumprir os seus compromissos no âmbito do Protocolo de Quioto. As reduções devem ser adicionais àquelas que ocorreriam na ausência da atividade do projeto.

Unidade Térmica Britânica (BTU): é uma unidade de energia térmica. Um BTU é a quantidade de energia necessária para elevar em 1 grau Fahrenheit (0,56 grau Celsius) a temperatura de 1 libra de água (aproximadamente 454 gramas). O gás natural é algumas vezes cobrado em unidades de milhões de BTUs, também chamadas de decatherms (ou dekatherms). Um BTU é igual a 252 calorias.

Unidades de Sondagem de Microondas (MSU, sigla em inglês): sensores a bordo de satélites na órbita da Terra que têm sido usados desde 1979 para monitorar as temperaturas da troposfera.

Urânio: é um elemento radioativo e pesado, que ocorre naturalmente.

Usina Hidrelétrica: usina que utiliza água em movimento para alimentar a turbina de um gerador para produzir electricidade.

Usina Termelétrica a Carvão: usina que usa o carvão como combustível para gerar eletricidade.

Uso da Terra, Mudança no Uso da Terra e Florestas (LULUCF, sigla em inglês): usos da terra e mudanças no uso da terra podem agir tanto como sumidouros ou como fontes de emissão. Estima-se que aproximadamente um quinto das emissões globais resultam de atividades de LULUCF. O Protocolo de Quioto permite que as partes recebam créditos de emissões para determinadas atividades de LULUCF que reduzem as emissões líquidas. As atividades de LULUCF elegíveis no MDL são aquelas que promovem a remoção de gás carbônico da atmosfera, ou seja, florestamento e reflorestamento.

Valor-R: o valor-R de um material é a sua resistência ao fluxo de calor e é uma indicação da sua capacidade de isolar. Este valor é usado como uma forma padrão de distinguir o grau isolante de um material. Quanto maior é o valor-R, melhor será o isolamento.

Valor-U (Coeficiente de Transmissão de Calor): é a recíproca do valor-R. Quanto menor é o valor-U, maior é a resistência à transferência de calor (isolamento) do material.

Vapor de Água (H2O): o vapor de água é o principal gás responsável pelo efeito estufa. Acredita-se que o aumento da temperatura causado pelas emissões antropogénicas de gases de efeito estufa vai aumentar a quantidade de vapor de água na atmosfera, resultando em um aquecimento adicional (ver "feedback positivo").

Variabilidade Climática: refere-se às mudanças nos padrões que compõem o clima, tais como padrões de precipitação, temperatura, etc.

Vedação de Ar: vedação de orifícios nas paredes, piso e teto, onde o ar externo entra na casa. É a forma mais custo-efetiva para melhorar a eficiência energética de uma casa.

Vulnerabilidade:potencial de um sistema ser prejudicado pela mudança do clima, considerando-se os impactos das mudanças climáticas no sistema, bem como sua capacidade de adaptação.

Watt: é a unidade de potência do Sistema Internacional de Unidades (SI). É equivalente a um joule por segundo (J.s-1). Normalmente é utilizada em medições elétricas, em que trabalho é realizado ou energia é utilizada.

Xeriscape: refere-se ao paisagismo realizado de forma a não necessitar de irrigação suplementar. Esta prática emprega o uso de espécies de plantas xerófitas - ou resistentes à seca - e é realizada em áreas que não têm fontes de água doce de fácil acesso.

Xerófitas: plantas que estão adaptadas para suportar condições de seca.

Yellow Cake: é um concentrado de urânio, que leva o nome da sua cor e textura. Esse pó amarelo normalmente contém de 70% a 90% de U3O8 (óxido de urânio) em peso. Ele é usado como matéria-prima para o enriquecimento de urânio combustível. (PATH)